Microsoft firma parceria e leva SQL Server para Linux

A Linux anunciou hoje a fusão com o SQL Server. Esse é considerado pelo mercado um passo muito importante para as duas empresas, visto que agora o SQL Server será compatível com todos os dados e executará todas as aplicações, em qualquer sistema.

O SQL Server no Linux deve oferecer ainda mais flexibilidade em solução de dados, se tornando uma opção com desempenho de missão crítica, TCO líder do setor, segurança de primeira classe e inovações híbridas em nuvem, como a Stretch Database, que permite que os clientes acessem seus dados no local e na nuvem sempre que quiserem a baixo custo – tudo incorporado.

sql-loves-linux_2_twitter-002

“Esta é uma decisão extremamente importante para a Microsoft, permitindo que ela ofereça seu conhecido e confiável banco de dados  a um conjunto expandido de clientes”, disse Al Gillen, vice-presidente de infraestrutura empresarial da IDC. “Ao levar este produto-chave para o Linux, a Microsoft está demonstrando seu compromisso de ser um provedor de soluções para múltiplas plataformas. Isso dá aos clientes a escolha e reduz as preocupações de lock-in. Esperamos que isso também ajude a acelerar a adoção geral do SQL Server”.

“Os clientes já estão aproveitando os serviços Azure Data Lake no Ubuntu, e agora os desenvolvedores poderão criar aplicativos modernos que utilizam os recursos corporativos do SQL Server”, afirmou Mark Shuttleworth, fundador da Canonical.

Scott Guthrie, vice presidente executivo da Microsoft, falou, em um post no blog da empresa, que “trazer o SQL Server para o Linux é outra maneira de tornar nossos produtos e novas inovações mais acessíveis a um grupo mais amplo de usuários”. Na semana passada, a empresa anunciou um acordo para adquirir a Xamarin e, recentemente, também falaram do Microsoft R Server, tecnologias baseadas na aquisição da Revolution Analytics, com suporte para Hadoop e Teradata.

Dentre as novidades do SQL Server 2016, estão:

  • Recursos de criptografia de segurança inovadores que permitem que os dados sejam sempre criptografados em repouso, em movimento e na memória para fornecer proteção de segurança máxima
  • Suporte a banco de dados in-memory para cada carga de trabalho com o aumento de desempenho em até 30-100x
  • Performance incrível de Data Warehouse  com #1, #2 e #3 TPC-H 10 terabytes de benchmark para performances não clusterizadas, e a partir de 7 de Março, o primeiro benchmark na Windows SAP SD Two-Tier
  • Business Intelligence para cada funcionário em cada dispositivo – incluindo novo suporte mobile de BI para dispositivos iOS, Android e Windows Phone
  • Analytics avançado utilizando o nosso novo suporte para R, que permite aos clientes fazer análise preditiva em tempo real em dados operacionais e analíticos
  • Recursos únicos para nuvem que permitem aos clientes implantar arquiteturas híbridas que particionem as cargas de trabalho de dados em sistemas on-premises e cloud, de forma a reduzir custos e aumentar a agilidade

O SQL Server para Linux vai transpor as principais características que os usuários esperam do software para servidores. Isso inclui um serviço de Stretch Database capaz de permitir aos gestores de TI enviar dados de servidores locais para o armazenamento na cloud Azure, mantendo-os acessíveis para aplicações que consultam uma tabela de base de dados específica.

A partir desta semana a empresa disponibilizará uma versão beta privada do software, para teste, com os componentes chave do SQL Server.

A Microsoft também liberou a edição daquela que deve ser a última versão beta do SQL Server 2016 para Windows.

Para se saber mais e solicitar a versão Preview, acesse este link.

Fonte: iMasters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: