Introdução a Energia sem fio – Nikola Tesla – Parte 1

Com os avanços tecnológicos que surgem repentinamente com o tempo, já era de se esperar outras grandes inovações. As universidades e outras organizações resolveram ressuscitar alguns conhecimentos da transferência de energia elétrica sem fio que teve início a partir dos princípios da ideia de Nikola Tesla, que foi o pioneiro nos estudos e aplicações de energia elétrica sem fio.

O processo de transferir energia elétrica sem fio é proporcionado por bobinas inventadas por Tesla, cujas bobinas foram batizadas de “Bobina de Tesla”, uma bobina conectada a uma fonte, induz energia elétrica para outra bobina receptora que capta a eletricidade para usufruir dessa energia. Através da revitalização dessa ideia os grandes fabricantes de aparelhos eletrônicos portáteis começaram a enxergar essa tecnologia perdida e utilizá-la para a comercialização de acessórios que permitem a recarga de suas baterias sem que o aparelho fique preso a um cabo de força, que seria o carregador com fio que conhecemos. No mercado atual, já é possível encontrar carregadores sem fio, alguns aparelhos celulares mais modernos já possuem o equipamento de fábrica e outros não, porém suportam carregadores sem fio que são vendidos separadamente.

Após a expansão da novidade de transmitir internet sem fio, os portáteis que utilizam wi-fi (internet sem fio) ganharam uma mobilidade bastante ampla em questões de rede, mas não se tratando de carga elétrica. Os carregadores sem fio servem como proporção da mobilidade e independência absoluta de fios para os portáteis.

O PRINCIPIO DA TRANSFERÊNCIA DE ENERGIA ELÉTRICA SEM FIO

Conforme vão se passando os anos, a tecnologia vai se aperfeiçoando, e hoje em dia muitas coisas mudaram, assim como, os computadores, que segundo Julia Gadelha no site da UFF (Universidade Federal Fluminense), nos anos 50 surgiu o primeiro computador com válvula de vácuo, em seguida sistemas operativos, logo os circuitos integrados e por fim, os microprocessadores. E hoje existem notebooks super avançados, ultrafinos e com a duração das baterias mais longas do que os notebooks anteriores. Entretanto, mesmo elas sendo duráveis, não são infinitas e às vezes terão que estar conectada por uma fonte numa energia elétrica para se recarregar.

A seguir será esclarecido como foi o surgimento da transferência de energia elétrica sem fio.

NIKOLA TESLA –  O PRINCIPIO DE TUDO

Segundo o próprio Tesla (autobiografia), nasceu em 10 de julho de 1856 em Smiljan na atual Croácia. As invenções de Tesla apresentam-se nas tecnologias atuais e principalmente no ramo da comunicação até hoje. Apesar de ele ter pensado nas tecnologias que são usadas no dia a dia, geralmente as pessoas que usufruem de seus feitos, não têm o conhecimento que ele foi o criador.

Figura 01: Nikola Tesla

Fonte: http://www.electronicsandyou.com

No site Uma Nova Era, Ron Barker e Jerry W. Decker relatam que Tesla criou o controle remoto, a bobina que transmitia energia elétrica sem fio e o sistema de potência elétrica em corrente alternada que substituiu o sistema em corrente contínua que requisitava uma enorme quantidade de fios, criado por Thomas Edison.

Figura 02: Nikola Tesla fazendo uma de suas demonstrações

O feito maior de Tesla foi o sistema de comunicação sem fio que é utilizado até hoje. J.P. Morgan, um financista americano, investiu na torre que Tesla pretendia construir em Long Island, cuja torre serviria para puxar energia do interior da terra. Tesla acreditava que no centro da terra havia energia suficiente para alimentar o planeta.

O físico Marconi exerceu estudos e aplicações na criação do rádio e recebeu seus créditos, porém após a morte de Tesla em janeiro de 1943, os Estados Unidos declarou que Marconi, em seus trabalhos, não produziu nada que Tesla não tinha descoberto.

Continue Lendo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: